Discursos

Discursos
eternos
provisórios
compulsórios
Todos derrotados
num campo de subjetividade

Que loucura
os que gritam todas as dores
os escravos de reis bajulados
o abstrato diante do espelho-meu

Verdades
ignoradas no verso e no verbo
trocadas por vulgaridades mitológicas
seguidas por séquitos loucos
mutantes de si

©Vilma Machado

Blue Future

IMG_6651

As vezes o mundo parece assim
se desmanchando
escorrendo pelas nossas mãos
deixando um gosto amargo
de uma sensação de nada poder.
As vezes o mundo parece assim
se desmanchando
sob a chuva de palavras bélicas
de um algoz implacável
que escarra fome, miséria e sangue.
As vezes o mundo parece assim
se desmanchando
no caos presente
onde entre cores do arco-íris
fita-nos
ausente da minha presença
neste existir carente.
©Vilma Machado

É carnaval, olé olá

Não chore ainda não, é carnaval
e vocês, vão dançar e cantar
fingindo que a felicidade
por aqui vai passar

A noite, nunca foi criança
e o samba, pode acreditar
também embala a violência
contra meninos e meninas

A dor, tão velha, não pode morrer
pois o bloco do poderosos
mostra pelo mundo seu gingado
cultivando guerras e injustiças
regadas com  ganância desenfreada

E você, meu amigo, tome cuidado
você tem que sambar
tem que fingir que a vida é boa
que o samba toca em todo lugar

Mas não pense que o tempo para
o dia logo vai raiar
e os injustiçados podem o poder tomar
e você, meu amigo, vai chorar……

©Vilma Machado